O Vilaverdense – 30/07/2014

psPS de Vila Verde diz que «está na hora de valorizar o trabalho dos Presidentes de Junta»

Os vereadores do PS na Câmara de Vila Verde tomaram uma posição pública, através de um comunicado, sobre as transferências financeiras para as Juntas de Freguesia, relembrando o Presidente da Câmara «da importância de o fazer» dotando assim, as Juntas de Freguesia «com o mínimo dos mínimos para conseguirem funcionar». Segue o comunicado na íntegra.

«Numa altura em que outros municípios reforçam os orçamentos das Juntas de Freguesia através de inúmeras transferências financeiras para os seus orçamentos anuais, é altura de relembrar o Sr. Presidente de Câmara, António Vilela, da importância de, no Concelho de Vila Verde, fazer o mesmo, dotando as Juntas de Freguesia de verbas adequadas à satisfação das necessidades das suas populações, em alguns casos dando-lhes o mínimo dos mínimos para conseguirem funcionar e corresponder à satisfação de aspetos básicos.
Não foram raras as vezes em que o Presidente de Câmara, António Vilela afirmou que “um euro gasto pela administração autárquica é sempre mais útil que se fosse gasto pela administração central, dada a proximidade às populações, o conhecimento dos seus problemas e anseios.”
Concordando plenamente com essa linha de raciocínio, é, pois, altura de exigir o mesmo procedimento perante as Juntas de Freguesia do Concelho de Vila Verde. Também elas, beneficiando de
uma maior proximidade às populações e de um mais aprofundado conhecimento das suas necessidades e anseios, estarão em melhor condições que a Câmara Municipal para investir cada euro disponível.
É altura de passar das palavras à prática, reforçando os orçamentos anuais de cada uma das Juntas de Freguesia do nosso Concelho, dando-lhes, assim, mais autonomia para levarem à prática os projetos apresentados às populações. É altura de confiar no trabalho, no empenho, na disponibilidade e nos conhecimentos de cada um dos Presidentes de Junta eleitos, deixando de os tratar como parentes pobres da administração local.
Em Vila Verde existem Juntas de Freguesia completamente paralisadas pela falta de recursos financeiros, absolutamente dependentes do que a Câmara Municipal decide, ou não, fazer nos seus territórios, situação que não pode continuar.
Os Vereadores do Partido Socialista, nesta matéria, vão continuar a bater-se por uma alteração do relacionamento entre Câmara Municipal/Junta de Freguesia, dando enfase ao reforço da dotação e utonomia financeira da cada uma das Juntas de Freguesia, pois, estão convictos que muito do dinheiro público que tem sido gasto pela Câmara Municipal seria muito melhor aplicada pelos senhores Presidentes de Junta em cada um dos seus territórios, melhorando aí as condições de vida das suas populações».

Fonte: OVilaverdense

Gabinete da Presidência devia ocupar-se dos problemas sérios do Concelho

Segue-se o comunicado dos Vereadores do Partido Socialista emitido hoje:

vereadores

 

Face à resposta que o Gabinete da Presidência da Câmara Municipal de Vila Verde deu ao “aplauso” da Vereação do Partido Socialista pela consumação do protocolo que permitirá a instalação de mini-lojas do Cidadão no Concelho, os Vereadores Luís Filipe Silva, José Morais e Manuela Machado só podem lamentar a polémica gerada desnecessariamente por gente que, isso sim, devia estar preocupada e atenta aos problemas graves que neste momento estão a acontecer em Vila Verde, tal como é o caso gravíssimo dos esgotos a correr a céu aberto para as praias fluviais em plena época balnear.

O Vilaverdense

Relativamente à “paternidade” da proposta que causou a desnecessária polémica, basta consultar as atas e as propostas das reuniões de 2 e 16 de Dezembro de 2013 para se perceber que a primeira proposta foi da Vereação Socialista (ANEXO I), tendo a Vereação do PSD ido, como já é habitual, a reboque das ideias dos Vereadores do PS.

Proposta de 18.11.2013

Efetivamente, a Vereação do PS propôs a criação de um Espaço Municipal/Loja do Cidadão na Vila de Prado e na Zona da Ribeira do Neiva por forma a aproximar as populações do Concelho aos serviços públicos, sem ter que se deslocar à sede do Concelho. Nessa mesma proposta, os Vereadores do PS recomendaram que o Sr. Presidente de Câmara fizesse a devida articulação com os respetivos Presidentes de Junta, pois são eles que melhor conhecem os territórios, as populações e as suas reais necessidades. Dado que estes espaços de serviço ao cidadão recolhem a concordância das duas forças partidárias representadas no executivo vilaverdense (PS e PSD), os Vereadores do PS não entendem a polémica gerada e lamentam que o Gabinete da Presidência não esteja, antes, preocupado com outros problemas que estão a preocupar o Concelho. O Gabinete da Presidência de António Vilela demorou um par de horas a reagir à satisfação dos Vereadores do PS pelo assinatura do protocolo das mini lojas do cidadão, mas, até ao momento, ainda não deu uma única palavra sobre a descarga de esgotos que ontem mesmo, dia 25 de Julho, se verificou na praia fluvial do Faial, na Vila de Prado. A descarga de esgotos observada pelos veraneantes presentes no local, que inclusive originou uma deslocação da GNR ao local, parece não ser um problema do Presidente de Câmara e do seu Gabinete! É, de facto, lamentável que dinheiros públicos estejam a ser gastos para tratar de assuntos/polémicas de Gabinete, enquanto os problemas reais, no terreno, que afetam diretamente os cidadãos e imagem do Concelho continuem com a resolução adiada. Perante estes episódios, a Vereação do Partido Socialista aconselha vivamente o Presidente de Câmara e o seu Gabinete a dar atenção ao que realmente tem importância, dando desde já, com a mesma celeridade, explicações sobre a descarga de esgotos ontem verificada no Faial, sobre a qualidade das águas das zonas ribeirinhas do Concelho e a informar com verdade todos os visitantes desses locais para que ninguém corre risco de saúde.

PS “aplaude” criação de cinco “Espaços do Cidadão” no concelho…mas lembra que «foi uma proposta do PS chumbada pelo PSD em Novembro de 2013»

ps

Os vereadores do PS vieram tornar púbico, este fim de tarde, o seu contentamento pela consumação dos protocolos que permitirão a instalação de espaços do cidadão descentralizados em Vila Verde. Ao todo, o concelho vai ter cinco espaço (mini-lojas do cidadão), acto formalizado esta manhã, em Braga (CIM – Cávado), pelo presidente da câmara municipal, António Vilela, na presença do Ministro-Adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro, e do Secretário de Estado para a Modernização Administrativa, Joaquim Pedro Cardoso da Costa. Os vereadores socialistas acolhem este passo com “aplauso” e recordam que «não é mais que o concretizar de uma proposta que o PS tinha apresentado ao executivo em 18 de Novembro de 2013, na altura chumbada pelo PSD, depois do anúncio do Governo da criação de 1000 lojas em todo o País. Incrível o facto de – volvido menos de um ano –agora é uma realidade».

 Espaco-do-Cidadão

Os vereadores do PS assinalam que a concretização da instalação dos cinco espaços do cidadão em diferentes pontos do concelho «constituirá um importante apoio aos cidadãos e empresas do concelho, quer pela comodidade, quer pela proximidade. Esperamos que venha a tornar-se igualmente numa prestação de serviços de proximidade mais eficiente e abrangente às reais necessidades e anseios dos vilaverdenses que se encontram mais distantes do poder de decisão».

Refira-se que a Vila de Prado, no concelho de Vila Verde, terá mesmo a primeira loja “Espaço do Cidadão” da CIM do Cávado. No total são 24 as lojas a abrir pelos concelhos de Amares, Terras de Bouro, Vila Verde, Braga, Esposende e Barcelos.
Será na capital do distrito do Baixo Minho, Braga, que vão ser instaladas o maior número de “Espaços do Cidadão” com sete, seguido de Vila Verde com cinco, concelho este que terá a primeira loja pronta já em Setembro.

ESPAÇOS DO CIDADÃO EM VILA VERDE

AS 5 Lojas Espaços do Cidadão / Lojas do Munícipe funcionarão em Vila Verde, na zona do Vade, na Ribeira do Neiva, no Vale do Homem e Vila de Prado.
«A descentralização dos serviços em vários pontos estratégicos do Concelho permitirá prestar à população do Concelho de Vila Verde um serviço de proximidade idêntico ao prestado na Câmara Municipal e nas habituais Lojas do Cidadão, contribuindo sobremaneira para a melhoria da qualidade de vida das pessoas e para a criação de novas âncoras de desenvolvimento, pois as pessoas, as empresas e instituições em geral terão a possibilidade de tratar processos relativos ao exercício das suas atividades diárias sem terem que se deslocar à sede concelhia, economizando tempo e recursos particularmente preciosos na difícil conjuntura que o país atravessa», referiu, hoje, o presidente da câmara municipal de Vila Verde, após a assinatura dos protocolos.

Notícia: O Vilaverdense

Dívida da Câmara de Vila Verde ultrapassa os 29 Milhões de Euros…

Dívida da Câmara de Vila Verde ultrapassa os 29 Milhões de Euros!
Corresponde a 120% da receita global colocando a Câmara em situação de incumprimento.
António Vilela contesta tudo.
Será que também estão a falar de Vila Verde pela negativa?
E a dívida de 29 Milhões? E o prazo de pagamento a 166 dias.
É esta a gestão autárquica que se tenta esconder aos Vilaverdenses!

dívida

Falar verdade é falar pela negativa!?

Entre os piores do Distrito de Braga lá está o reflexo da gestão pela positiva do PSD de António Vilela a manchar o nome de Vila Verde.
Diário do Minho,  24 de Julho 2014.
Falar verdade é falar pela negativa?

falar verdade

(carregar no artigo para ler)

Jornal de Notícias – 23/07/2014

NOTÍCIA

 

ATENÇÃO: “forte contaminação das águas fluviais”

rios
proibido_nadar

Os Vereadores do Partido Socialista na Câmara de Vila Verde, num comunicado enviado ás redacção manifestam «a sua maior preocupação perante» as notícias de hoje que apontam para forte contaminação com salmonelas das águas fluviais, nomeadamente na Praia do Mirante, em Soutelo, e eventualmente a Praia do Faial, na Vila de Prado.

Luís Filipe Silva, José Morais e Manuela Machado estranham ainda «o silêncio ensurdecedor do Presidente de Câmara e Vereador do Ambiente que não prestam qualquer esclarecimento à população, pelo contrário, emitiram um comunicado no passado dia 26 de Junho a confirmar índices de qualidade excelente para estes locais!».
No mesmo comunicado referem que «os atentados ambientais nas águas do Rio Homem e Cávado são uma constante ao longo dos últimos meses, e a única coisa que o Presidente da Câmara sabe dizer é que a culpa ou é de Braga ou é de Amares. Não se compreende como se pode ter andado durante anos a vender a ideia de que com a ETAR de Cabanelas este problema ficasse resolvido, e com o início de funcionamento da ETAR há mais de 2 meses constata-se que o problema se mantém, estando inclusive identificados pela GNR vários pontos de provável contaminação».
Para os vereadores socialistas «outra situação caricata é o facto de desapareceram as placas informativas colocadas pela Administração Regional de Saúde, dando conta da contaminação das águas com salmonelas. Por explicar fica ainda a notícia difundida pelo Município de Vila Verde, no passado dia 24 de Junho, onde davam conta que as águas do Rio Cávado estariam com uma “qualidade notável”. Aliás, exige-se um esclarecimento para o facto de na Vila de Prado estar hasteada bandeira vermelha. É necessário que sejam prestados esclarecimentos oficiais sobre a qualidade da água na Praia do Faial, que neste momento conta com dezenas de veraneantes».
Por último, os Vereadores do PS vão solicitar aos Municípios vizinhos, nomeadamente a Amares, Terras de Bouro e Braga, «reuniões urgentes no sentido de perceber o que cada um terá a dizer sobre esta matéria e que medidas serão tomadas no curto prazo para evitar situações destas que prejudicam não só o meio ambiente como o turismo de toda a região».
No que diz respeito a Vila Verde, serão tomadas posições concretas na próxima reunião de Câmara. «Não permitiremos que continue o “folclore noticioso”, que serve apenas interesses propagandistas, escondendo a verdade aos vilaverdenses e colocando a sua saúde em risco», rematam o comunicado.

OVilaverdense