Urbi et Orbi – 03/09/2014

VEREADORES SOCIALISTAS DE VILA VERDE PEDEM MANUTENÇÃO DO “JI” DE RIO MAU

2

«Depois de verem confirmado pelos jornais o encerramento de vários jardins de infância no concelho de Vila Verde, facto lamentável», os vereadores socialistas reuniram segunda-feira com representantes dos pais dos alunos do Jardim de Infância de Rio Mau, na Ribeira do Neiva.

Segundo os autarcas eleitos pelo PS, ficou então claro que «este encerramento pode ainda ser evitado»: «o Jardim de Infância de Rio Mau tem a possibilidade de inscrever 12 alunos, aos quais se somam alunos de outros estabelecimentos a encerrar na União de Freguesias da Ribeira do Neiva, atingindo dessa forma o número mínimo de alunos imposto pelo Ministério da Educação para manutenção da escola».

Além disso — acrescentam — deste ano lectivo que agora se inicia para o do ano seguinte o número de alunos tende a aumentar.

1

A confirmar-se o cenário de encerramento da escola — lembram — muitos dos alunos terão de fazer deslocações de oito quilómetros, em vias secundárias e caminhos municipais, onerando dessa forma a rubrica municipal da despesa com transporte escolar.

Estes argumentos, confirmados pelos pais, foram suficientes para convencer os vereadores do Partido Socialista a levar à reunião de Câmara de 8 de Setembro uma proposta no sentido de «que a Câmara de Vila Verde, em articulação com a Junta de Freguesia da Ribeira do Neiva, interceda no sentido da manutenção deste estabelecimento de ensino».

Os autarcas do PS apelaram, assim, ao presidente da Câmara e à vereadora da Educação «para que estabeleçam contactos com o Ministério da Educação no sentido de garantir a manutenção desta escola».

Urbi et Orbi

O Vilaverdense – 02/09/2014

Mercado do Peixe da Feira de Prado encerra por tempo indeterminado

peixe

Mercado do Peixe da Feira Semanal da Vila de Prado encerrado por tempo indeterminado. Os comerciantes do peixe estão a receber hoje as notificações, em pleno dia de feira. “E agora?”, perguntam por entre a indignação. Junta de Prado aponta o dedo Câmara de Vila Verde. “Prometeram uma melhoria e até hoje nada”, diz Paulo Gomes, autarca de Prado.

Depois da ASAE ter passado no local há 15 dias e ter detetado falta de condições do local, hoje é o último dia de venda de peixe antes do encerramento por tempo indeterminado. Os peixeiros reclamam a ação e o clientes dizem “nunca ninguém ficou intoxicado por comer peixe do mercado de Prado”.

No entanto a Junta de Prado, através do presidente Paulo Gomes, confirma o encerramento. O autarca pondera inclusive a mudança de local da feira semanal e lamenta que a Câmara de Vila Verde esteja a boicotar o futuro dos pradenses.

“Não é só esta situação do mercado que devia ter sido alvo de intervenção atempada. Há outras situações de negligência para com a Vila de Prado”, frisa Paulo Gomes, que levanta a questão: “E se Prado não fosse do domínio de Vila Verde?”. “Acredito que tínhamos outra vila, mais evoluída e com outras condições”, diz.

No entanto o autarca de Prado diz que os comerciantes do Peixe vão ser contactados para serem “compensados financeiramente”. “Pois eles já pagaram o espaço anual”, vaticina.

O Vilaverdense

O Vilaverdense – 02/09/2014

Contestação ao encerramento do Jardim-de-Infância de Rio Mau

riomau

Contestação ao encerramento do jardim-de-infância de Rio Mau, no concelho de Vila Verde. Depois de na semana passada a redacção do jornal “O Vilaverdense” ter recebido uma contestação “informal” de um dos encarregados de educação, eis que agora se juntaram, na última noite, os pais com filhos colocados naquele espaço para “formalmente” reclamarem a manutenção do JI: «Não faz sentido encerrar esta escola, cujo número de alunos este ano pode atingir o imposto pelo Ministério da Educação, e manter abertas escolas com menos alunos. Esperamos que todas as forças políticas do concelho de Vila Verde nos ajudem a manter a escola aberta».

As posições foram assumidas por um número considerável de encarregados de educação/pais, em declarações ao jornal “O Vilaverdense”. Instada a comentar o facto, a junta de freguesia da Ribeira do Neiva enviou uma nota à nossa redacção onde refere que «está obviamente interessada e muito empenhada na luta pela defesa dos interesses da nossa população, pelo que tudo fará pela manutenção deste jardim-de-infância. Pedimos ainda que a Câmara Municipal de Vila Verde interceda de imediato junto do Governo no sentido de manter o Jardim de Infância de Rio Mau aberto».

Os vereadores do PS também acabam de reagir, «pedindo a manutenção do Jardim de Infância de Rio Mau. Depois de verem confirmado pelos jornais o encerramento de vários jardins-de-infância no Concelho de Vila Verde, facto lamentável, agravado pela falta de esclarecimentos oficiais por parte do Presidente da Câmara e da Vereadora da Educação, os Vereadores do Partido Socialista reuniram ontem com representantes dos pais dos alunos do Jardim de Infância de Rio Mau – União de Freguesias da Ribeira do Neiva». Fazem notar que «ficou claro desde o início que este encerramento pode ainda ser evitado. O jardim de infância de Rio Mau tem actualmente a possibilidade de inscrever 12 alunos, aos quais se somam alunos de outros estabelecimentos de ensino a encerrar na União de Freguesias da Ribeira do Neiva, atingindo dessa forma o número mínimo de alunos imposto pelo Ministério da Educação para manutenção da escola. É ainda certo que deste ano lectivo que agora inicia para o do ano seguinte, o número de alunos tende a aumentar. Não podemos ficar também indiferentes ao facto de que muitos dos alunos de Rio Mau, a confirmar-se o cenário de encerramento da escola, terão de fazer deslocações de 8kms, em vias secundárias e caminhos municipais, onerando dessa forma a rubrica municipal da despesa com transporte escolar».

Até ao momento ainda não foi possível obter uma reacção por parte da câmara municipal em relação a este assunto.

O Vilaverdense

O Vilaverdense – 02/09/2014

Vereadores do PS “pedem” comissão fiscalizadora para avaliar recolha do lixo em Vila Verde

1 2 3

Os vereadores do PS querem a criação de uma comissão fiscalizadora para avaliar recolha do lixo em Vila Verde. Uma posição que surge na sequência dos relatos «de acumulação de lixo em locais públicos e dos contornos políticos da adjudicação à Ecorede/Rede Ambiente que levantam dúvidas sobre execução do contrato», justificam os eleitos socialistas.

 

«Conforme é de todos os vilaverdenses, inclusive do Senhor Presidente de Câmara, a recolha de resíduos sólidos domésticos em Vila Verde, está a ser realizada pelo consórcio Ecorede/Rede Ambiente de forma aparentemente desadequada, com frequências que não satisfazem as necessidades de uma adequada salubridade e que não respeita os termos da adjudicação efectuada, levando a sucessivos casos de acumulação de lixo na via pública, potenciando a existências de graves problemas ambientais e de saúde pública», referem os vereadores do PS, no comunicado enviado à nossa redacção. Mais adiante no comunicado, referem que «apesar da adjudicação do serviço ao consórcio Ecorede/Rede Ambiente, a autarquia continua a dispor de recursos humanos e materiais afetos diariamente à recolha de lixo no centro urbano de Vila Verde, situação também comprovada pelos registos fotográficos» que fizeram chegar às redacções, embora – como sublinham com base no articulado do contrato estabelecido com a referida empresa – «que é da responsabilidade do consórcio Ecorede / Rede Ambiente assumir todos os custos inerentes à execução dos serviços e a recolha de todo os resíduos sólidos urbanos, incluindo porta-a-porta».

Por isso, os vereadores do PS, «pugnando por uma maior transparência da actuação do Município de Vila Verde na defesa dos interesses dos seus munícipes, cuja tutela lhe foi democraticamente confiada, vão propor que na próxima reunião de câmara seja deliberada a constituição de uma comissão para fiscalização/controlar os termos da execução do contrato de prestação de serviços de recolha de resíduos sólidos urbanos, bem como para avaliar a eventual aplicação das penalidades contratualmente previstas. A referida comissão seja constituída pelos seguintes elementos, a saber: Um elemento de cada foça partidária representada na Câmara Municipal e Um elemento de cada força partidária representada na Assembleia Municipal».

Os vereadores do PS dizem que «é a melhor forma de garantir transparência em todos estes negócios. Todos sabem também, dos contornos políticos do contrato do lixo em Vila Verde. O consórcio Ecorede/Redeambiente, ao qual foi adjudicada a recolha do lixo em Vila Verde, tem no seu Conselho de Administração figuras ligadas ao PSD, nomeadamente um ex-deputado do PSD e um ex-membro do Conselho Nacional do PSD, também eles ligados à empresa Vetor Estratégico que deu apoio no processo de venda de 51% da Escola Profissional Amar Terra Verde, e que, em 2011, por ajuste directo, foi convidada pelo Sr. Presidente de Câmara António Vilela, também ele eleito pelo PSD, a apresentar um estudo fundamentador da criação de uma empresa municipal para gerir a água e o saneamento do Concelho de Vila Verde! É do conhecimento público que estes negócios estão a ser investigados pela política judiciária, e como tal suscitam em nós ainda maior preocupação».

Instado a comentar esta proposta, o presidente da câmara municipal de Vila Verde, António Vilela, diz que «não merece qualquer comentário. Vamos falar de coisas sérias e do crescimento de Vila Verde».

OVilaverdense

Vila Verde no coração…

Sabia que…

A empresa contratada pela Câmara Municipal de Vila Verde para recolha de lixo tem como presidente do Conselho de Administração um ex-membro do Conselho Nacional do PSD?

Essa empresa vai receber 4.950.000€+IVA (quatro milhões novecentos e cinquenta mil euros) pela recolha do lixo no Concelho de Vila Verde.

É tudo coincidência e legal.
Aliás, este é mais um exemplo da excelente gestão de 17 anos de PSD na Câmara de Vila Verde.

1

2

Partilhe, Goste, Apoie e Contribua – www.apela.pt

apelaapela2